O que é Aromaterapia?

aromaterapia é uma terapia holística que faz uso dos óleos essenciais extraídos da natureza para trazer bem-estar emocional e físico.

A aromaterapia como medicina alternativa vêm  sendo cada vez mais procurada como tratamento auxiliar para ansiedade, insônia, emagrecimento (diminuindo a compulsão alimentar), depressão, fibromialgia e melhora da concentração, sendo ótima aliada nos momentos de trabalho e estudos, e também para fins estéticos, melhorando a saúde e aparência da pele e do cabelo.

Sua eficácia é embasada pela aromatologia – ramo científico que estuda profundamente a utilização terapêutica dos óleos essenciais visando o bem estar e o equilíbrio corporal e emocional .

Ao longo do conteúdo vamos compreender a aromaterapia como excelente opção de medicina alternativa e também como os óleos essenciais afetam nosso humor e emoções, quais são os mais populares e modos de uso.

O que são os óleos essenciais?

Na prática da aromaterapia existem muitos óleos essenciais que podem ser utilizados, cada um com propriedades curativas únicas. Alguns destes óleos essenciais funcionam acalmando o paciente, enquanto outros são destinados a revitalizar e energizar.




Os óleos essenciais são conhecidos como energia viva da natureza, são os líquidos aromáticos extraídos dos arbustos, flores, folhas, raízes e sementes. Embora tenham  um aroma agradável, a sua composição é complexa e os seus benefícios muito mais vastos – o que os torna muito mais do que algo que simplesmente cheira bem. Na natureza, seus compostos químicos defendem as plantas contra os insetos, as condições ambientais e as doenças. São também vitais para que uma planta cresça, viva, evolua e se adapte ao seu ambiente.

Os óleos essenciais são altamente concentrados e muito mais potentes do que as ervas secas.

Para obter os óleos essenciais são utilizados sementes ou frutos (anis, limão, laranja, erva-doce…),copas de flores (lavanda, rosa, alecrim ..), raízes (vetiver, angélica), folhas de árvores de chá, eucalipto ..), madeira (cedro, sândalo ..), rizoma (gengibre, açafrão ..), casca (canela) .. ou resina (incenso, mirra …), ou seja, qualquer coisa que possa ser extraída como um líquido.  Essas substâncias não contêm substâncias gordurosas, embora sejam chamados de “óleos”. O método mais comum de extração dos óleos essenciais atualmente é a destilação à vapor.

A extração de óleos essenciais é bastante custosa, principalmente devido à grande quantidade de matéria-prima necessária para a produção de pequena quantidade de óleo essencial. São necessários cerca de 35 kg de plantas para obter 1 litro de óleo essencial. Muito mais no caso de certas plantas, como a rosa. Daí o preço alto e variável dos óleos essenciais originais, dependendo da raridade da planta e de sua necessidade de quantidade. No entanto, existem óleos sintéticos, adequados para perfumaria, mas não para aromaterapia, porque não têm poder terapêutico.

As aplicações terapêuticas da aromaterapia

O modo de ação dos óleos essenciais se manifesta de diferentes maneiras e mostra uma diversidade importante. Daí muitas virtudes: analgésico, antiespasmódico, anti-inflamatório, colerético, colagogo, anti-prurido, vermífugo .. através de estimulantes hipotensores e gástricos, etc.

No entanto, as evidências para a eficácia da aromaterapia no tratamento médico permanecem fracas com a falta de estudos empregando métodos clínicos rigorosos. No entanto, as conseqüências de seu uso parecem claramente indicar seu verdadeiro potencial terapêutico.

Aromaterapia na beleza

Já é sabido que os óleos essenciais possuem muitos benefícios para a saúde da pele e dos cabelos, tais como:
– efeito cicatrizante,
– efeito firmador,
– antienvelhecimento,
– combate às rugas,
– combate à acne,
– crescimento capilar,
– melhora da saúde e aparência da pele e do cabelo,
– prevenção e combate à queda dos cabelos, e muitos outros.

Você pode ver mais detalhes na categoria especial sobre beleza em nosso blog ou em nossa sessão de óleos essenciais, onde detalhamos os benefícios de cada um.


Aromaterapia para redução do estresse e ansiedade, melhora do sono e depressão

Podemos utilizar a aromaterapia como terapia complementar para ansiedade e depressão, também para a melhora da qualidade do sono em casos de insônia, e também para reduzir o estresse, trazendo tranquilidade. Aqui na AmoAromaterapia falamos sobre vários óleos essenciais que atuam diretamente no sistema límbico (como lavanda, gerânio e olíbano, por exemplo) e tem eficácia comprovada no tratamento dessas doenças, podendo ser utilizada em momentos de stress ou como medicina alternativa. Confira nossos artigos sobre o assunto:

Óleos essenciais para animais de estimação

Você sabia que os óleos essenciais podem ser extremamente benéficos para a saúde e o bem-estar dos seus pets? A aromaterapia é um complemento muito interessante para aliviar os problemas de saúde do seu animalzinho.

Se você possui em sua casa gato ou cachorro, saiba que o uso dos óleos essenciais podem afastar problemas como pulgas, carrapatos, vermes, e outras indisposições na saúde do animal, tais como: infecções, reumatismo, stress, hiperatividade (acalmando o animal), entre outras.

Além disso, você pode elaborar soluções para auxiliar na higienização do ambiente, para espantar o mau cheiro e até como efeito repelente.

Confira nosso artigo completo sobre os benefícios dos óleos essenciais para seu pet no post abaixo:

pets-gato-cachorro

Óleos essenciais para seu pet

Óleos essenciais para seu pet: quais são recomendados, proibidos e como utilizar Se você já experimentou o uso dos óleos essenciais para benefício próprio ou da sua família já sabe ...
Leia Mais

*Antes de administrar os óleos essenciais em seu pet, consulte um profissional especializado. Os animais de estimação tem sensibilidade maior do que os seres humanos aos óleos essenciais, e embora apresentem muitos benefícios, também possuem contra-indicações, podendo oferecer risco ao seu animal se administrados da forma errada.

Óleos essenciais afrodisíacos

Diminuição ou ausência de libido, fadiga sexual – em um momento ou outro da vida, todos podem ser confrontados com distúrbios relacionados a esse tópico. As causas desses distúrbios podem ser múltiplas: estresse, depressão, fadiga geral, alterações hormonais e o uso de certos medicamentos podem levar a uma diminuição temporária do desejo ou a um colapso sexual. Se isso não durar, há pouco para se preocupar. Por outro lado, se o problema persistir, tornar-se oneroso para você ou seu parceiro, você terá que agir. Saiba que existem óleos essenciais capazes de ajudá-lo.

Os principais óleos essenciais afrodisíacos são:

– Óleo essencial de Ylang ylang;
– Óleo essencial de Jasmin
– Óleo essencial de Gengibre
– Óleo essencial de Canela
– Óleo essencial de Damiana
– Óleo essencial de Pimenta preta

Confira abaixo nosso post completo sobre óleos essenciais afrodisíacos.
Veja nesse post como eles podem te ajudar em questões físicas e emocionais, melhorando o relacionamento com seu parceiro! Dicas de massagem, os óleos mais indicados para os homens, para as mulheres e muito mais abaixo: 

casal_amor

Tudo sobre óleos essenciais afrodisíacos

Antes de procurar o óleo essencial afrodisíaco mais adequado à você, primeiro deve se perguntar quais são suas necessidades: por ...
Leia Mais

Outros benefícios

Existem vários estudos sobre o efeito benéfico da aromaterapia na literatura científica, contra certas condições: doenças respiratórias, conforto pós-operatório em crianças, trabalho de parto reduzido durante o parto, fibromialgia, ansiedade pré-natal, depressão pós-parto, epilepsia, depressão, nível reduzido de ansiedade no dentista, habilidades cognitivas, dismenorreia, náusea pós-operatória, infecções, artrite, demência, alzheimer, eczema, alopecia areata, esclerose em pacientes placas, etc.

No entanto, nenhum desses estudos permite tirar conclusões claras e definitivas sobre a eficácia da aromaterapia nessas situações.

Como escolher um óleo essencial

Óleos essenciais devem ser 100% naturais e 100% puros, garantindo todos os compostos químicos que consigo trazem os benefícios terapêuticos.

Não confunda óleo essencial com essência, essas possuem preço bastante inferior comparado aos óleos essenciais e são sintéticas, imitando apenas o cheiro sem trazer consigo os benefícios. Como pudemos ver, o óleo essencial não é composto apenas da fragrância mas sim uma junção complexa de elementos químicos com os quais são os responsáveis pelos princípios ativos de cada óleo essencial.
Conheça mais detalhes e dicas de uso sobre os óleos essenciais em nosso blog, clicando aqui.

Como utilizar os óleos essenciais

Os óleos essenciais podem ser usados externamente (uso tópico), internamente (ingestão) ou no ar por meio de difusores, mas com as devidas precauções, pois são moléculas ativas bastante poderosas.

Inalação

Ao inalar o aroma de um óleo essencial o efeito no corpo será completamente diferente de uma fragrância sintética.
As moléculas dos óleos essenciais fazem ligação com nossas glândulas olfativas como se fossem chaves, essas chaves irão disparar impulsos em nosso cérebro (mais diretamente no sistema límbico) que é a responsável pelas emoções e lembranças.
Dependendo do óleo em questão poderemos ter efeitos ansiolíticos, efeitos de regulação do humor, efeito estimulante, entre outros, pois cada óleo possui uma um efeito diferenciado.

Você pode fazer uso de acessórios como difusores e colares aromáticos por exemplo. Caso queira saber mais sobre esse assunto, clique aqui.

difusor ultrassonico e oleos essenciais

Acessórios na aromaterapia

Acessórios na aromaterapia Na aromaterapia, os acessórios (como difusores e colares aromáticos) são de grande importância para a propagação dos óleos essenciais no ambiente, fazendo ...
Leia Mais

Aplicação por meio de massagens

A aplicação dos óleos essenciais por meio de massagens fará com que as moléculas dos óleos essenciais penetrem na nossa pele.
Esse método de aplicação possui uma ação mais física do que emocional, entretanto não podemos desvincular a ação emocional, já que mesmo aplicando sobre a pele estaremos inalando a fragrância do óleo essencial durante a massagem.

É importante falar que os óleos essenciais nunca devem ser aplicados diretamente sobre a pele, já que são extremamente concentrados e, mesmo sendo produtos naturais, podem causar alergias.

Nesse caso utilizamos um veículo carreador ( óleo vegetal, loção, gel, creme…) para conduzir as moléculas dos óleos essenciais para dentro do nosso manto hidrolipídico e assim permitir que as moléculas atuem tanto sobre as nossas células quanto sobre os nossos hormônios, entrando na circulação sanguínea e promovendo os resultados que esperamos desses produtos.

Ingestão

A ingestão de óleos essenciais é um método bastante utilizado na França, entretanto não recomendamos o uso sem acompanhamento profissional, pois sua ingestão pode ocasionar toxicidade elevada e comprometer sua saúde.

Aromaterapia na prática

Um aromaterapeuta é um profissional de saúde alopático ou natural que se especializa no uso de práticas médicas usando óleos essenciais. Isso aconselha o paciente sobre o uso de óleos essenciais ou extratos aromáticos de flores chamados hidrossóis.

Para usá-los com segurança e obter um resultado convincente, cada usuário deve se beneficiar do conselho individualizado de um aromaterapeuta. O uso de óleos essenciais não é nada trivial, tal profissão exige um conhecimento profundo das plantas e de suas propriedades. O aromaterapeuta também possui um conhecimento muito bom em bioquímica, em fisiopatologia do corpo humano. Um aromaterapeuta trata todas as pequenas doenças da vida cotidiana, além de problemas crônicos mais complexos. Os métodos de administração de óleos essenciais dependerão das necessidades, relevância e gostos de cada um: banho, massagem, difusão, inalação, uso interno, aplicação local, etc.

O que acontece durante uma sessão?

A primeira consulta começa com uma longa discussão sobre os objetivos da sua consulta, todos os seus problemas de saúde e bem-estar (estilo de vida, dieta, alergias e intolerâncias, estresse, histórico pessoal e familiar, tratamentos atuais e passados, intervenções e etc.). Esta entrevista detalhada é essencial para entender como o problema / patologia surgiu e para lhe dizer o procedimento a seguir em direção ao bem-estar. Isso permitirá ao aromaterapeuta projetar uma resposta individualizada perfeitamente adaptada.

Torne-se um aromaterapeuta

Muitos profissionais de saúde natural, como os naturopatas, usam óleos essenciais como uma técnica complementar. Isto é particularmente ensinado na escola naturopata. Mas cada vez mais profissões médicas ou paramédicas, como farmacêuticos, parteiras e até veterinários, estão sendo treinadas.

Os diplomas e certificados de aromaterapeuta podem ser emitidos por certas universidades ou estabelecimentos de treinamento que geralmente são estruturas particulares.

Além disso, também existem cursos por correspondência para profissionais de saúde ou medicina alternativa (médico, naturopata, farmacêutico, etc.).

Nós, do portal AmoAromaterapia, recomendamos o curso de aromaterapia online! Ele não é um curso de formação em aromaterapia, mas você aprenderá a utilizar os óleos essenciais com toda a segurança em sua casa, família e até em seus pets de forma segura, usufruindo dos benefícios que ela tem a oferecer ao seu bem-estar.

Origem da Aromaterapia

O início do seu uso remonta ao Egito Antigo, onde encontramos os primeiros registros da destilação à seco de óleos das plantas para fins terapêuticos, religiosos e de perfumação. Ao longo da história encontramos registros de vários povos (romanos, chineses, gregos, indianos, entre outros) que fizeram uso das propriedades terapêuticas através de chás, massagens, banhos e perfumações de ambientes.

Mas foi no final do século 19 na França que a história moderna da aromaterapia começou. Foi então que a capacidade dos óleos essenciais de neutralizar bactérias foi comprovada cientificamente (na mesma época, foram descobertos antibióticos, que tiveram o efeito de excluir a aromaterapia do campo da medicina). Devemos a René-Maurice Gattefossé, em 1928, o primeiro uso do termo aromaterapia. A história nos ensina que ele está na origem do neologismo da aromaterapia.

Gattefosse sofreu um acidente em seu laborátorio, queimando uma das mãos. Para aliviar seu sofrimento utilizou, institivamente, óleo de lavanda sobre a queimadura. Surpreendendo-se com o resultado benéfico de cura, tomou interesse sobre o assunto e passou a pesquisar os benefícios terapêuticos das plantas relacionados a saúde.

Aromaterapia é uma das ferramentas disponíveis para aromaterapeutas e naturopatas. É muito útil contra doenças (problemas da esfera ouvido-nariz-garganta, vários distúrbios digestivos, problemas de sono, dores diversas, problemas relacionados ao ciclo menstrual e à menopausa … os usos são vastos). Sua ação mais convincente é de natureza anti-séptica (contra bactérias, vírus, fungos e outros parasitas). É, portanto, muito eficaz para a higiene dos espaços interiores de casa, para os cuidados estéticos e para o relaxamento, e cada vez mais frequentemente para a prevenção e tratamento de doenças infecciosas nosocomiais em ambientes hospitalares.

Precauções para uso dos óleos essenciais

Os óleos essenciais são altamente concentrados nos aspectos químicos e energéticos, portanto podem apresentar riscos à saúde. Por esta razão, eles devem ser usados com cuidado, especialmente no caso de jovens com menos de 10 anos e possivelmente adultos vulneráveis (mulheres grávidas ou amamentando, idosos, epilépticos, asmáticos, etc.). ) e seu uso deve ser acompanhado por um especialista em saúde.

Para uso externo, os óleos essenciais devem ser usados sempre diluídos em óleos carreadores (ou óleos transportadores) antes da aplicação. De fato, alguns compostos podem ter efeitos irritantes (fenóis: cravo, orégano, colutório e alguns aldeídos como capim-limão, canela, etc…), ou fotossensibilizadores (como limão, laranja, tangerina, bergamota, etc.) para a pele e membranas mucosas.

Não utilizar no difusor: fenóis (canela do Ceilão, orégano, cravinho, colutório, timo vulgaris) e cetonas (artemísia, salva, hissopo) porque podem irritar a mucosa respiratória.

Para uso interno, deve-se lembrar que os quimiotipos individuais, como as cetonas, são substâncias venenosas e nunca devem ser tomados por via oral por longos períodos ou em altas doses:

Se usadas de forma intensiva e repetida, algumas delas podem ser hepatotóxicas (fenóis) ou neurotóxicas (cetonas como menta, mentol de eucalipto, etc.). O óleo de alecrim e cânfora pode causar convulsões epiléticas, especialmente em pessoas em risco.

Os óleos essenciais não devem ser consumidos ou utilizados em sua forma pura. As instruções de uso devem ser seguidas. Em caso de dúvida, não pense duas vezes antes de falar com um aromaterapeuta ou farmacêutico qualificado.

Conheça nosso curso de aromaterapia online com 65%OFF para aprender sobre os benefícios dos óleos essenciais e utilizar em sua casa e em sua família de forma segura, saiba mais clicando aqui.

curso aromaterapia fabi correa

Curso de aromaterapia

Curso de Aromaterapia Online >> Clique aqui para saber mais! Olá leitor(a), já pensou em fazer o CURSO DE AROMATERAPIA ONLINE e utilizar os óleos essenciais de maneira segura em sua casa? A aromaterapia é um método cientificamente comprovado de melhorar o bem-estar, a saúde e a estética.  Aqui na AmoAromaterapia separamos pra você o melhor curso de aromaterapia à ...
Leia Mais

Importante: A informação contida nesta página é apenas para fins educativos. Solicite ajuda a um profissional capacitado sobre quais óleos essenciais utilizar e a dosagem adequada para seu tratamento. Embora sejam de origem natural, óleos essenciais são produtos extremamente concentrados, podendo gerar alergias e toxicidades.